Comunicado Importante

Agradecemos a todos que nos visitam e solicitam os links, mas o Google fudeu conosco e retirou todos os links. O blog está desativado por tempo indeterminado, nos desculpem pelo inconveniente. Procurem o material desejado nos nossos parceiros.

sábado, 20 de setembro de 2008

Barón Rojo.
Madrid, Espanha.
Estilo/Gênero: Heavy.



Saudações, mortais.
(esse post atende ao pedido do deathrasher)
Barão Vermelho foi o apelido dado ao aviador alemão Manfred von Richthofen. Considerado um dos melhores pilotos da aviação de combate de todos os tempos, tendo vencido oitenta combates aéreos durante a primeira guerra, ele espalhou sua lenda pelos quatro cantos do mundo - seus aliados o chamavam de "der rote Kampfflieger" (guerreiro-voador vermelho), os franceses o temiam chamando-o de "Petit Rouge" (pequeno vermelho) e "Le Diable Rouge"(diabo vermelho), os ingleses suavam frio quando avistavam o "Red Knight" (Cavaleiro Vermelho) e "Red Baron" (Barão Vermelho). Foi abatido pelo piloto canadense Roy Brown (ou por um tiro de longa distância dado pelo soldadado australiano S. Evans, não se sabe ao certo). O fato é que esse nome ficou marcado no inconsciente coletivo da humanidade. Tanto é assim que é comum encontrarmos artistas que se apropriam dessa lenda para compor suas obras (quem não se lembra do Snoopy em sua fantasia preferida?) ou mesmo para dar nome aos seus projetos. É o caso do Barón Rojo, da Espanha. Formado pelos irmãos Armando e Carlos De Castro no início dos anos 80, lançaram em 81 o álbum "Larga Vida Al Rock And Roll" e o single "Con botas sucias", uma crítica velada à CBS, gravadora que editava os discos da banda anterior dos irmãos de Castro (banda essa que se chamava Coz). O álbum alcançou disco de ouro e proporcionou à banda excursões por toda Espanha. O álbum apresenta um heavy bem executado, com vários flertes com hard rock, mas sem cair na "farofa". Legítimo representante do Heavy latino oitentista. Me impressiona como uma mesma nação pode parir pessoas como os irmãos de Castro e o sr. Celestino Corbacho (leia mais sobre isso no Talo da Brabera). Ah! O Barão Vermelho verde-amarelo também é uma homenagem à von Richthofen mas.. deixa pra lá..

"Almas atormentadas, tremei!"

4 comentários inúteis:

Ruptured disse...

Excelente postagem!!! Resenha muito foda! Vou dar um saque no disco.

Hellraiser disse...

Saudações, Rup.
Achei que seria interessante postar o primeiro e o último pra sacar qual é a dos caras. E dá pra perceber que eles não vacilaram em nada! Grande banda! Até mais!

Anônimo disse...

legal essa postagem, me lembro quando começaram a chegar as bandas que cantavam em espanhol: baron Rojo, Obus, Panzer,Riff, Angeles del Inferno e duas que curto pra caralho: Broke e Evo (animal de ciudad). O REFRÃO DE UM SOM (TRADUZIDO) ERA: NOITES DE ROCK E ÁLCOOL...se somarmos a isso mulheres,não era preciso mais nada.
Paulão Bebedouro

Hellraiser disse...

Saudações, Paulão.
As bandas em espanhol sempre me fascinaram - fossem de que estilo fossem. Acho um idioma tão próximo, e ao mesmo tempo tão diferente.. além do mais, acho que cantar em espanhol tem um "Q" de subversão. Obrigado pela visita e pelo comentário. Faça sugestões de bandas/álbuns, críticas/elogios e volte sempre! Até mais.

 

blogger templates | Make Money Online