Comunicado Importante

Agradecemos a todos que nos visitam e solicitam os links, mas o Google fudeu conosco e retirou todos os links. O blog está desativado por tempo indeterminado, nos desculpem pelo inconveniente. Procurem o material desejado nos nossos parceiros.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Pride & Glory - Pride & Glory (1994)


Pride & Glory.
Nova Jersey, EUA.
Estilo/ Gênero: Southern Rock, Hard Rock.



Saudações mortais.

"Southern rock é um subgênero do rock que se desenvolveu nos estados do sul dos Estados Unidos misturando rock´n´roll, country music e blues e blah, blah, blah.."

Tem um ditado que ronda o submundo que diz "não importa a cor da vaca, eu bebo o leite mesmo!".
É esse o caso aqui.
Numa das minhas incursões ao gênero "Southern Rock" percebi que só constava o "Brand New Sin" (que por sinal é ótimo). Fiquei pensando, será que seria arriscado eu postar alguma coisa desse gênero? Afinal, só o "chefe" BlackHammet ousou tal peripécia..
Pensei bastante (uns dez segundos, como de costume) e resolvi:

que se dane!

Como legítimo representante das trevas, eu tô aqui pra azucrinar mesmo, seja com músicas barulhentas, seja com novas bandas e/ou gêneros.
Esse é o objetivo com meu post de hoje, aproveitando o clima das recentes festas juninas..

Pride & Glory (que a princípio, se chamava "Lynard Skynhead", entregando de cara, as influências e as intenções desses malucos) foi formada em Nova Jersey, EUA, em 1994, por Greg D'Angelo, que logo seria sugstituído por Brian Tichy (bateria e percussão), James LoMenzo (baixo, backing vocais) e Jefferey Wielandt (vocais, guitarra, piano, banjo, harmônica e bandolin).
Seria apenas mais uma boa banda se o tal sr. Wielandt não fosse ninguém menos que Zakk Wylde, o menino-de-ouro acolhido por Ozzy Osbourne, lançado ao estrelato após substituir o lendário Randy Rhoades(D.E.P).
Essa parte da história todo mundo sabe.
O que talvez vocês não saibam, ainda, é que o Pride & Glory, pra mim,
eu eu repito,

PRA MIM,

é o melhor projeto e trabalho de Zakk Wylde.
Nesse primeiro (e único) álbum o cara conseguiu manter sua execução técnica, sua pegada rock e ainda acrescentou uma alma country, no mais puro estlio "redneck" (termo utilizado para designar os "caipirões" americanos que ficavam com o "pescoço vermelho" de tanto trabalhar sob o sol escaldante das plantações).
O resto você só vai conseguir sacar se ouvir esse álbum.

Devo lembrar a vocês, mortais obscuros, que nos honram com suas nobres visitas, que se trata de um álbum de hard rock! Você não ouvirá, nesse álbum nenhuma guitarra rasgando riffs insandecidos, nenhuma blasfêmia nem nenhuma narração detalhada de uma necropsia feita numa mulher grávida.
O que vocês ouvirão aqui serão músicas calcadas no hard rock pesadão (típico do sr Wylde), com direito a baladas, alguns instrumentos típicos do country, letras sobre arrependimento e whiskey, muitos "ohhhhh lorrrrd..", tudo com muito sotaque sulista e cheiro de fumo de mascar.

Bem, mortais, pra ouvir esse Pride & Glory eu recomendo:
pegue uma cadeira de balanço, ponha na parte externa de seu casebre de madeira, acenda a lamparina, pegue seu melhor chapéu, um bom whiskey, e fique observando de longe as plantações de algodão. No melhor estilo Zé Buscapé..

"Almas atormentadas, tremei!"

3 comentários inúteis:

BlackHammet []Tumullus[] disse...

Ótimo Hell!

Tá ai um bom exemplo do southern que eu disse ontem pro Rup que tenho, mas que me falta tempo e oportunidade pra postar, inclusive eu tenho a disco do sr. Zakk para postar, e o primeiro álbum do BLS e esse Pride são os melhores pra mim.

Sobre o Brand New Sin, não lembro se comentei no post dele, mas foi o Zakk mesmo que deu uma força pra banda se levantar.

Sobre o primeiro nome dessa banda... pois então, ela se parece um pouco com a banda de southern que eu quero fazer um Paulera Songs...hehehe

Sobre o termo Redneck, sou meio chato com ele, evito usá-lo, pois quando se emprega o adjetivo redneck, normalmente refere-se à: mente fechada, valores conservadores fortes, sempre seguindo opinião pública ao invés da própria. Características marcantes dos caipirões sulistas americanos. Sim, hoje em dia o termo redneck serve até mesmo de tradução livre para a palavra "caipira", mas possue essas marcas que eu prefiro não misturar...

Bom independente disso tudo, adorei o post, como eu disse ja tenho e um diria iria postar, então é menos um álbum pra baixar, mas recomendo muito para todos, inclusive para o Rup que acha o rótulo Hard Rock é desnecessário ¬¬'

Ruptured disse...

Só me resta ouvir! O post ficou muito bem mastigado.

Concordo com a opinião do Hammet quanto ao termo ''Redneck'', que dá pelo menos duas margens de interpretação bem distintas!

E nunca disse que a tag Hard Rock era desnecessário, e sim a Countrycore. rs. E isso visando a orientação ''enxuta'' do próprio Hammet!

Abraços cabras porres!

Hellraiser disse...

Saudações, mortais.
Interpretações à parte, eu acho que, na verdade, é um pouco de tudo mesmo. Não gosto muito de reduções simplistas, mas adoro ver como as pessoas reagem à elas.
Então, se algum "redneck" se incomodar, peçam pra vir falar comigo..(rs).
Até mais.

 

blogger templates | Make Money Online