Comunicado Importante

Agradecemos a todos que nos visitam e solicitam os links, mas o Google fudeu conosco e retirou todos os links. O blog está desativado por tempo indeterminado, nos desculpem pelo inconveniente. Procurem o material desejado nos nossos parceiros.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Artillery - By Inheritance (1990)


Artillery
Taastrup, Dinamarca
Estilo/Gênero: Thrash



O Artillery, como já citei no post de seu primeiro full (Fear of Tomorrow) se trata de um Thrash criativo e espotâneo que não tem medo de extrapolar na velocidade e originalidade. No último de seus três discos (desconsiderando a volta) a banda vai longe ao explorar um thrash forte que soa meio que como música árabe em muitas das passagens.

A explicação para isso começa no próprio ano de seu lançamento, 1990 é um ano delicado para as tensões entre o ocidente e oriente. Véspera da Guerra do Golfo (1991) , que representa na verdade o estopim de um história fortemente marcada por fanatismo religioso autoritário e falsas cruzadas democráticas. E entre o velho clichê de achar que o ocidente está fazendo sua parte levando a liberdade aos povos oprimidos (haha) e o de louvar a atitute das teocracias (teo = deus, cracia = governo, ou seja, um governo sustentado pela religião) árabes, o Artillery entra criticando ambos os lados, vendo nada mais que uma defesa de interesses por poder maquiada em democracia e religião.

Sobre esse tema o disco já começa com a poderosa Khomaniac logo após a intro, esse título pode estar um pouco distante atualmente, mas em sua época, Khomein era uma provincia iraniana famosa por seus mártires e líderes islâmicos radicais, incluindo o aiatolá Khomeini, líder da revolução iraniana, que tirou o governo fantoche dos americanos do poder (Reza Pahlavi). Daí o nome, Khomaníaco, cuja letra denuncia os sacrifícios tidos como ''legítimos'' em nome daqueles que querem o poder sustentado pelo Alcorão (livro sagrado dos árabes)

Do outro lado, Bombfood ataca a clássica pele de cordeiro de que as potências ocidentais já são bem famosas, e que aliás, se repetiu com freqüencia quase enjoativa, e que até hoje, 18 anos depois, nos faz assistir tensões com o Irã com os mesmo descursos que, por incrível que pareça,
ainda são aplaudidos da mesma forma.

Não vou me prolongar mais sobre as letras, deixarei que vocês assumam daqui pra frente, só ressalto que isso não é um albúm conceitual, e que diversos outros temas estão presentes para se pensar.

Sobre o div eu fui bem cru, faixa 1, 2 e 3, sem direito a escolhas! Se te agradar o aperitivo garanto que tem mais carne (ou glúten quem sabe) de onde veio!

4 comentários inúteis:

ganjacore disse...

PORRA VELHO AS GUITARRAS DESTE DISCO SÃO CHAPANTES! SOLOS E RIFFS PERFEITOS!

Ruptured disse...

Esse disco é completo, assim como os outros dois anteriores. Artillery destrói com todas as notas.

Valeu ganja.

pedroller disse...

falaí, queria saber se rola uma parceria com o meu audioblog.
http://cdspunkhc.blogspot.com/

valeu, abraços

Täti disse...

fudido.

 

blogger templates | Make Money Online